Músculos: veja a transformação de alguns astros do cinema

23.10.10 - 2:09 PM Ester Castro 2 comentários

Músculos

Não é nada fácil para um homem conseguir um corpo perfeito principalmente se ele abrir mão de ajuda underground.
Astros do cinema fazem isso parecer um passe de mágica. Adoram nos pegar de surpresa com suas transformações físicas, quando aparecem mais ou menos musculosos de uma hora pra outra em função de algum personagem.
A maioria deles conquistam o shape dos deuses a custa de muita malhação, disciplina e alimentação. Entretanto, no que diz respeito ao ator Chris Evans, tenho lá minhas dúvidas. Ninguém fica tão marombado (acho feio inclusive…) em pouco tempo sem tomar alguma bomba, enfim…

Já os demais lindinhos que aparecem abaixo, estão com seus músculos na medida certa. Nada de exageros e naturalmente sexy. Perfeitos!!

Dêem uma olhada clicando em play ou arrastando a barra de cada imagem pra conferir as transformações:

LEIA MAIS…



Entenda a classificação dos games segundo a ESRB

19.10.10 - 3:16 PM Ester Castro 4 comentários

A ESRB é a organização que classifica os games distribuídos na América do Norte, de acordo com o seu conteúdo adequando-o para as respectivas faixas etárias. É a mais conhecida. Os jogos que temos aqui em casa são todos classificados por ela.

Existe também a BBFC do Reino Unido, a CERO do Japão, a PEGI da Europa,  entre várias outras. Aqui no Brasil temos a DJCTQ, que além dos jogos eletrônicos, também classifica filmes e programas de TV.

Veja os exemplos de classificação segundo a ESRB:

Early Childhood (Maiores de 3 anos)

Early Childhood (Maiores de 3 anos) – Contém conteúdo considerado próprio para crianças até 6 anos. Jogos nesta categoria não contêm qualquer material impróprio. Esses jogos são especificamente destinados a crianças e jovens e geralmente de natureza educativa.

Everyone (Maiores de 6 anos ou livre)

Everyone (Maiores de 6 anos ou livre) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 6 anos, antigamente, mas agora a classificação é representada livre para todas as idades. Títulos nesta categoria podem conter violência animada ou fantasiosa leve.

Everyone 10+ (Maiores de 10 anos)

Everyone 10+ (Maiores de 10 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 10 anos. Títulos nesta categoria podem conter violência animada ou fantasiosa moderada, linguagem agressiva leve, sangue animado e/ou mínimos temas sugestivos.

Teen (Maiores de 13 anos)

Teen (Maiores de 13 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 13 anos. Títulos nessa categoria podem conter violência, temas sugestivos, humor cruel, pouco sangue, jogos de azar e/ou uso moderado de linguagem forte.

Mature 17+ (Maiores de 17 anos)

Mature 17+ (Maiores de 17 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 17 anos. Títulos com essa classificação contêm violência mais forte com sangue, consumo de drogas ou álcool referências sexuais e/ou linguagem obscena.

Adults only 18+

Adults only 18+ (Maiores de 18 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 18 anos. Colocada em jogos adultos que contêm representações de sexo e nudez extrema e/ou violência incluindo sangue.

Existe ainda o selo RP (Raiting Pending) dado aos jogos submetidos a análise e que ainda não foram finalizados para lançamento oficial.

Só que essa classificação nem sempre é unânime. Devido as divergências culturais, um mesmo jogo pode ter classificação diferente de acordo com a região, podendo inclusive ser recusado ou proibido. Cito entre outros, o exemplo do RPG Risen (PC Xbox 360) que tem classificação Mature pela ESRB, mas foi banido no Japão por suposto conteúdo sexual e incentivo ao uso de drogas. Engraçado que esse joguinho aqui póóódchi, porque enfiar o dedo no cu dos outros é cultura, né? :8:

Alguns jogos regulamentados em uma mesma região podem ainda ter a sua classificação revista para menos ou para mais, se a opinião pública levantar a questão, como foi o caso do Oblivion (PC, Xbox 360, PS3) inicialmente classificado como Teen pela ESRB e depois alterado para Mature. Claro que existem vários outros casos como esse.

Não sei lá fora, mas aqui no Brasil, vamos combinar que a classificação de permissão etária só se restringe a mera informação e é totalmente ignorada pela pirataria, afinal nem todo mundo compra games originais, como bem lembrou o colega @finatto ao comentar num post polêmico meu sobre a violência dos games. E adultos com filhos, compram e classificam o jogo a seu bel arbítrio. O que para uns é considerado impróprio, para outros não, ou seja, em casa, os pais é que determinam o que é permitido ou não, sem acatar a orientação do selo. Acontece muito.

Aqui em casa sou bem resolvida quanto a isso e embora eu sempre defenda a ideia de que o problema não é o game que influencia, mas sim o indivíduo que é influenciável, tenho minha própria política doméstica de acesso aos jogos sempre com muito, mas muito diálogo, informação, presença e amor.

Fontes: ESRB e Wikipedia

E por falar nisso…

No que diz respeito aos estabelecimentos públicos como lojas e locadoras, existe um Projeto de Lei tramitando na Câmara dos Deputados, que se for aprovado, irá proibir a venda e a locação de jogos violentos à menores de 18 anos, sob pena de cassação do alvará de funcionamento. A proposta é da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES) que certamente entende tudo do assunto. A pirataria agradece…

Passo a vez à vocês para opinar sobre. Concordam com o projeto ou não?



Pin-ups russas by Irina Davis

17.10.10 - 9:33 PM Ester Castro 2 comentários

Segundo a fotógrafa russa Irina Davis, a devastação da Segunda Grande Guerra Mundial forçou as mulheres russas da década de 40 e 50 a serem duras e a realizarem trabalhos pesados. Elas não teriam vivido o glamour e nem tido o prazer de desfrutar a onda das pin-ups americanas pós-guerra. Mesmo porque a União Soviética considerava tal movimento imoral e decadente.

Diante disso, Irina Davis fotografou mulheres russas ensaindo belíssimos pin-ups em capturas de muito bom gosto numa tentativa de resgatar essa época. O objetivo é retratar a beleza pura e a feminilidade sem objetivar a sexualidade, apenas fortalecê-la. E como fortaleceu né??

O resultado claro, é deveras edificante. L-I-N-D-O!!

Essa primeira, a Annushka, é minha preferida!! Amei essa foto!!!

Annushka by Irina Davis
Foto: Annushka by Irina Davis

Angelika by Irina Davis
Foto: Angelika by Irina Davis

Veja o restante das fotografias que compõe a exposição no site oficial da fotógrafa.

Via Mira y Calla



Cosplay fiel da Samus Aran de Zero Suit by @Yukilefay

14.10.10 - 11:24 PM Ester Castro 6 comentários

Há mais de três anos atrás eu postei sobre os cosplays da Thaís Jussim ou Yuki LeFay e desde então venho acompanhando seu trabalho, inclusive seguindo-a no Twitter. Adooooro!

Um dos mais recentes é este da heroína Samus Aran (série do game Metroid) sem a armadura usando o Zero Suit. Achei perfeita!!

Samus Aran - Zero Suit

Samus Aran de Zero Suit by @Yukilefay

Samus Aran de Zero Suit by @Yukilefay

Samus Aran de Zero Suit by @Yukilefay

Linda né?

Em seu site oficial, Yuki Lefay tem uma galeria com cerca de 46 cosplays já feitos por ela! Vale a pena conferir!

Dois dos meus preferidos são o da Midna humana de Twilight Princess e a Samus Aran com armadura de Metroid. Igualmente fiéis e perfeitas! ;)



Categories: Cosplay, Imagem, Tudo

Alho negro. Já ouviu falar?

13.10.10 - 12:43 PM Ester Castro 11 comentários

Alho negro
Imagem: Roberto Seba

Hoje, enquanto eu tomava meu café da manhã, vi uma matéria no Mais Você que falava sobre um tal alho negro. Fiquei curiosa e fui pesquisar mais sobre o assunto.

O alho negro nada mais é do que um alho comum condicionado a um processo de fermentação e envelhecimento numa estufa, tornando-se uma iguaria cada vez mais presente nos melhores restaurantes brasileiros.
E o que parece podre aos olhos leigos, é um alho metido à besta todo trabalhado no black tie, que custa em média 100 reais o quilo, quase dez vezes mais que o alho comum. Paradoxos da culinária, não é mesmo?
A diferença, além do aspecto, é que o alho negro não tem gosto e nem cheiro de alho. O sabor, segundo dizem, é considerado umami (cuma?), sendo ímpar com notas doces e frutadas lembrando uma ameixa seca, por exemplo, e que vai bem em pratos doces ou salgados.

Quanto a origem é oriental (só podia ser né?), havendo divergências entre ser japonesa ou coreana, sendo consumida no Oriente há cerca de cinco anos.

Abaixo um vídeo explicativo:

 

Taí. Embora o segredo do processo seja mantido a sete chaves, talvez seja interessante buscar informações sobre a técnica. Para quem já lida com o plantio e afins, seria uma boa alternativa para aumentar a renda.

No Brasil, quem produz é Marisa Tiemi Ono, que segundo conta, começou a produção fazendo experiências até chegar no resultado esperado. Então quem se habilitar a comprar, já sabe onde procurar. ;)

Fonte Globo Rural