Infarto já não é mais doença exclusiva de idosos!

28.12.10 - 6:17 PM Ester Castro






Houve um tempo em que o infarto era associado às doenças senis, muito embora a doença não escolha idade. Mas era de fato muito mais comum vitimar um avô ou um tio de mais idade do que o garotão esportista.

Infarto
É a necrose (morte) de uma parte do músculo cardíaco causada pela ausência da irrigação sanguínea que leva nutrientes e oxigênio ao coração. É o resultado de uma série complexa de eventos acumulados ao longo dos anos, mas pode ser caracterizado pela oclusão das artérias coronárias em razão de um processo inflamatório associado à aderência de placas de colesterol em suas paredes. O desprendimento de um fragmento dessas placas ou a formação de um coágulo de sangue, um trombo, dentro das artérias acarretam o bloqueio do fluxo de sangue causando sérios e irreparáveis danos ao coração (necrose do músculo cardíaco).

Só que hoje em dia esse quadro mudou.
Está sendo cada vez mais comum os casos de infartos atípicos, como são chamados os infartos que acometem adultos jovens abaixo dos 40 anos, e que não são provocados pelas formas tradicionais de um infarto, como as obstruções por placas de gordura ou trombos.
O infarto atípico decorre de uma constrição da artéria, ou seja, ocorre um estreitamento brusco da artéria provocando a obstrução. Em outras palavras, é um infarto que independe dos conhecidos fatores de risco como obesidade, cigarro, diabetes, hipertensão, colesterol alto, herança genética, etc.
As causas podem ser originadas por estresse, depressão, uso de anabolizantes, drogas ilícitas e afins.

Abaixo, um link te levará à uma simulação em flash dos três tipos de infarto:

Clique na imagem e espere carregar o flash

Contudo, os adultos jovens, incluam aí também os adolescentes, estão cada vez mais predispostos aos riscos de um infarto tradicional.
Excesso de peso, cigarro, sedentarismo e péssimos hábitos alimentares estão levando jovens a se tornarem hipertensos e diabéticos, que por tabela acabam desenvolvendo doenças cardíacas.

Eu tenho acompanhado isso de perto.
Como já sabem, meu marido é cardiologista e há um mês estou trabalhando com ele na realização de eletrocardiogramas de repouso e esforço, colocação de holters e mapas cardíacos em seus atendimentos na rede pública de cidades vizinhas.
É alarmante como é grande o número de homens e mulheres acima do peso quase sempre fumantes, inclusive muito mais jovens que eu, e que desenvolveram problemas sérios de pressão alta ou diabetes por conta da condição física.

E vai mais um alerta:

O infarto em pessoas de meia idade ou mais jovens mata mais do que em idosos. Tal fato é comprovado e a explicação é simples: a aterosclerose, acúmulo de placas de gordura (ateromas) na parede das artérias, é tanto mais prejudicial quanto mais jovem for o indivíduo, pois este ainda não desenvolveu a chamada circulação colateral, mecanismo de defesa que o organismo cria ao longo do tempo contra os ateromas. Trata-se de pequenos vasos sanguíneos que crescem ao redor dos grandes, formando canais de escoamento. Nos jovens, esses caminhos alternativos ainda não existem, portanto os infartos lhes são mais graves. [Leia mais…]

Acredito que falta informação na mídia. É preciso fazer um alerta contundente sobre os hábitos destes jovens e as consequências reais da péssima postura que quase sempre já vem de berço.

No interior, os mais antigos vangloriam o garoto parrudinho e o modo como “come bem”, que no real sentido da coisa significa comer muito. E nos grandes centros a coisa não difere. Fast foods, frituras e porcarias calóricas já se tornaram cardápios endêmicos entre boa parte da população. O resultado: jovens morrendo do coração no sentido triste e literal do termo.

É isso aí queridos! Muita atenção com o peso e a saúde. Vamos cuidar do cuore, ok! ;)

Via Minha Saúde, Portal da Educação Física, Dr. Marcelo Ferraz Sampaio



Categorias: Informação, Saúde, Tudo







Confira outras postagens no blog!

2leep.com


Os comentários são via Facebook, portanto precisa estar "logado" para comentar. Vale lembrar que o teor dos mesmos são de inteira responsabilidade do comentarista.

Comente!! Assim saberei o que você pensa! ;)




  1. Nenhum comentário por enquanto.
Fechado para comentários.