Simplesmente Chaplin

21.12.06 - 6:02 PM Ester Castro






Charles Chaplin é mais um ícone do cinema antigo. Nasceu em Londres, em 1889. Teve uma infância sofrida e houve um tempo em que ele, seu irmão mais velho e sua mãe sobreviviam de um único prato de sopa, distribuído pela igreja. Suas roupas eram remendos dos velhos vestidos do teatro, de sua mãe.

Antes da fama, Charlie foi ajudante de fábrica de vidro, balconista de loja, ajudante de barbeiro, assistente gráfico, jornaleiro, empregado doméstico.

Chaplin subiu ao palco pela primeira vez aos 5 anos diante da sua mãe que lhe ensinou a cantar e representar.

Mais tarde seu irmão Sidney Chaplin foi quem o apresentou a Fred Karno, o maior produtor de teatro de variedades da época. Em 1909, Sidney já era um dos principais atores da trupe. Chaplin fez muito sucesso no papel de um bêbado embriagado, em “Mumming Birds”. Ele dizia que a graça do bêbado vinha da luta deste em provar que estava sóbrio. Stan Laurel, o magro da dupla “O gordo e o magro” foi companheiro de Chaplin na trupe.

Num período rebelde de sua vida, enquanto namorava uma garota viciada, fumou maconha e cheirou cocaína. Uma semana depois, enjoado de tudo, namorada e drogas, terminou tudo. Quanto à bebida, detestava-a, já que a ligava à morte do pai que morreu de cirrose hepática, pobre e esquecido (ele era cantor do music hall), deixando nos bolsos das calças somente duas laranjas.

No início da carreira no cinema, os outros atores chamavam-no de “pato esquisito”, por seu jeito diferente e tímido e para se acalmar, antes das filmagens, sapateava enquanto falava para si mesmo “preciso me soltar, ânimo!”.

Em 1916, seu rosto já estampava bonecos, livros e músicas eram feitas para ele. Ficou surpreso quando soube. Na verdade, a indústria do cinema começava a criar ídolos e Chaplin foi um dos primeiros. Percebeu que podia ganhar dinheiro com isso. Até os 32 anos já tinha feito mais de 72 filmes. Em 1916 já ganhava mais que o presidente da república.

Charles Chaplin morreu aos seus 88 anos no dia de Natal em 1977 em Vevey na Suíça por consequência de um derrame cerebral.

Uma de suas citações memoráveis:

“Uma pessoa pode ter uma infância triste e mesmo assim chegar a ser muito feliz na maturidade. Da mesma forma, pode nascer num berço de ouro e sentir-se enjaulada pelo resto da vida.”

Veja muito mais sobre sua vida aqui.

 

Fonte: Purviance, Chaplin, Cinema e Solidão



Categorias: Gente, Tudo







Confira outras postagens no blog!

2leep.com


Os comentários são via Facebook, portanto precisa estar "logado" para comentar. Vale lembrar que o teor dos mesmos são de inteira responsabilidade do comentarista.

Comente!! Assim saberei o que você pensa! ;)




  1. 19, outubro, 2007 em 13:39 | #1

    :clasp:oi galera eusou uma fãzinha deste revolucionario daquelas época revolucionaria .gosto muito de seus poemas.e tb de seus pensamentos. só ñ gosto da antipatia dele para com as mulheres é claro.bijss!

  2. Wagner
    26, dezembro, 2006 em 19:52 | #2

    Poha me emocinei mesmo esse Chaplin agora é ma inspiração para mim…sem palavras e saber que se você quer basta acreditar e lutar para conseguir…vou segui assim…não conhecia a história dele muito triste e com um final feliz..heheheE sobre esse material que andam falando pode ser que seja bom tbm exibir o ser humano normal que ele era e não apenas o personagem genial…seria interessante mesmo vê-lo por trása das cameras…até a próxima =D

  3. Anonymous
    22, dezembro, 2006 em 02:26 | #3

    Foi encontrado há algum tempo, negativos de cenas dos bastidores dos filmes de Chaplin.Algo raro, pois Chaplin mandava destruir todo o material não utilizado dos filmes.Lá se vê um diretor brincalhão, colérico à procura da perfeição, mas mesmo assim, genial.Deveriam exibir este material, pois é mostra o lado humano do personagem Carlitos.

Fechado para comentários.