Arquivo

Arquivado em ‘Opinião’

Exemplo de compaixão cristã…

20, março, 2011 Ester Castro 20 comentários

 

Uma garota que obviamente ignora o fato do arquipélogo japonês estar localizado entre três placas tectônicas, “falou” merda no Twitter e diante das represálias acabou excluindo sua conta. Mas sempre tem alguém com um dedo no print screen pra guardar pra posteridade.

Não consigo descrever o tamanho da pena que sinto de alguém que acha que tragédias como as que acorreram no Japão sejam castigo divino. O que houve com o “Deus é amor”?
Se existe algum Deus na imensidão do cosmos, este iria canalizar sua ira destrutiva num pequeno país de um dos vários planetas da Via Láctea, dentre milhares ou talvez milhões de outras galáxias????? Ah c’mon!!

Menos pretensão, mais informação, menos ignorância e acima de tudo, independente do que você acredita ou não, mais solidariedade e compaixão por favor!

 

Via Sedentário

Categories: Opinião, Web

Tudo o que o ensino público MENOS precisa é aula de religião!

14, fevereiro, 2011 Ester Castro 8 comentários

Projeto do deputado Pastor Marco Feliciano é para tornar obrigatório o ensino religioso em escolas públicas

O tema acima foi brilhantemente discorrido pelo Cardoso, o blogueiro mais House feelings da internet, texto cujo qual recomendo a leitura, mas quem me conhece e “me lê” há um bom tempo, sabe que se botou religião onde não é chamada, eu não poderia deixar de pitacar a respeito.

A despeito da minha crença ou falta dela e em respeito aos mais diversos credos, aliás justamente por essa diversidade, forçar a obrigatoriedade do ensino religioso nas escolas públicas, é no mínimo um retrocesso sem precedentes.

O nobre Deputado Federal, Pastor Marco Feliciano, protocolou no último dia 09 de fevereiro o Projeto de Lei n. 309/2011 que visa alterar o Art. 33 da Lei n.º 9.394/96 que tornaria a aula de religião, então facultativa, grade obrigatória no ensino público, como segue:

Art. 33: O ensino religioso, parte integrante da formação básica do cidadão, de matrícula facultativa pelo aluno, é disciplina obrigatória nos currículos escolares do ensino fundamental, assegurado o respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer formas de proselitismo.

Vejam vocês que o deputado, na pressa de exercer o seu intento de “boa fé”, esqueceu de alterar também o último trecho que veta qualquer forma de proselitismo. Tornar a religião obrigatória não estaria ferindo a disposição final deste artigo? Pois pra mim, obrigatoriedade de religião X proselitismo não passam de mera redundância e me soa mais como um intuito velado de converter futuras massas a um dogma específico.

Mas se for para ensinar virtudes, ética ou normas de conduta, por que não criar uma matéria pertinente? Ou quem sabe trazer de volta à grade, a velha “Educação Moral e Cívica” (nossa, agora cavei fundo no baú…), que abordava entre outros assuntos, a consciência, o caráter, virtudes, vida social, direitos, deveres, estes que talvez sejam o maior déficit da sociedade atual.


Imagem: reprodução

O ensino público precisa de bons professores bem pagos, de inglês obrigatório também no Ensino Fundamental I e não só a partir do Fundamental II, de bibliotecas bem supridas, de laboratórios de informática e de estruturas físicas dignas.
O que precisa mudar e melhorar ainda mais é a qualidade do ensino, para que o filho da diarista encontre de graça, o que o filho do dotô paga o olho da cara pra ter.

Religião? Deixe-a para quem quer seguí-la por vontade própria e não por imposição.
Eu defendo sim o laicismo porque o Brasil enquanto laico, nos permite fazer nossas próprias escolhas como é de direito no pleno exercício da liberdade democrática.

#prontofalei.

Categories: Notícia, Opinião, Tudo

Tadinhos dos políticos desse país com a mixaria de seus salários…

17, dezembro, 2010 Ester Castro 6 comentários

E o salário ó!
E o salário ó!

Realmente não dá pra ter uma vida digna com os míseros R$ 12 mil ou R$16 mil  recebidos até então por deputados estaduais e federais respectivamente. Afinal eles trabalham tão árduamente para melhorar este país dando o sangue para que o brasileiro possa ter um futuro melhor, sendo mais do que justo que se autoconcedam um aumento salarial de 61,8%, não é mesmo????

NOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOTTTTTTT!!!!!

Pois é meus queridos. Como é de praxe em último ano de mandato, os digníssimos senhores congressistas correram contra o tempo para aprovar no último dia 15 em caráter de urgência, um projeto que aumenta (de novo) os seus próprios salários. Essa pressa toda se deve porque por disposição legal não lhes é permitido pleitear aumento na mesma legislatura, então é preciso que votem e aprovem o reajuste que passa a vigorar no mandato seguinte.

Isto posto, os salários de presidente e vice-presidente da República, ministros de Estado, senadores e deputados, que estes passarão a receber a partir do ano que vem, será algo em torno de R$ 26 mil, FORA OS BENEFÍCIOS, alcançando o mesmo patamar dos vencimentos dos ministros do STF. Ou seja, todo mundo vai ganhar igualzinho pra não ter invejinha.

Vale lembrar que esse aumento gera um efeito cascata, pois como prevê a lei (ah de novo essa lei tão benevolente…), deputados estaduais tem direito de receber o equivalente a 75% do salário de um deputado federal e no âmbito municipal, apesar do reajuste levar em conta o número de habitantes, pode ser fixado entre 20% e 75% sobre os rendimentos de um deputado estadual.
Essa proeza toda vai custar aos cofres públicos cerca de 2 bilhões de reais ao ano!!!

Brasilzão tá podendo né? E de onde vão tirar a diferença pra cobrir o rombo? Hein? Hein?

Agora tentem voltar uns 4 anos no tempo quando a Transparência Brasil publicou um estudo comparativo dos custos do Congresso Nacional com os de países como Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Itália, México e Portugal. E adivinha qual país gastou mais com seus políticos???

E se na época cada deputado custava, entre vencimentos pessoais, verba de gabinete, auxílio-moradia, passagens e outras despesas, em média R$ 99.467 por mês aos cofres públicos, agora então nem se fala. Vão nadar de braçada em nosso mar de vergonha.

Os salários dos políticos já eram por si só um acinte e esse aumento então é a ofensa das ofensas…

Enquanto isso, professores e policiais, duas das áreas que no meu entendimento deveriam estar entre as mais bem remuneradas desse país, continuam recebendo muito aquém do que merecem.

Esse é o nosso Brasil, democrático que é, possuindo uma isonomia salarial tão real quanto o histórico escolar de Tiririca.

Fontes: Congresso em Foco, O Globo e IG

Fiuk e seu comentário infeliz!

21, setembro, 2010 Ester Castro 19 comentários

Fiuk

Eu acho o Fiuk um fofo muito do lindinho, mas ele foi absurdamente infeliz numa declaração que deu à revista Contigo há alguns dias atrás, quando admitiu ter usado drogas:

“Não vou falar qual. É f… porque falando isso, o tacham de drogado, sendo que o próprio cara que lê, às vezes, fuma, cheira. Não quero incentivar ninguém nem nada disso, mas tenho de ser sincero com minhas experiências. Experimentei porque acho que é preciso saber o que é para não beijar a boca da ilusão. Aí o cara quando estiver numa roda, vai poder ser firme ao falar: ‘Valeu, tô fora’. Vivo num meio que tem muita droga. O ser humano é muito curioso e, quem diz que não é, mente”

Não vou entrar no mérito dele assumir ter experimentado algum tipo de droga. Mesmo com a gama de informações e esclarecimentos a cerca do assunto que temos por aí, cada um tem seu livre arbítrio. Usa quem quer. Fode-se idem.

Mas o que eu questiono com todo o meu espanto é ele ter afirmado que é preciso ver qual é a da droga pra depois ser firme e dizer que tá fora. Como assim, meu querido????

DROGA é o tipo de coisa que por mais que você seja um modafóca curioso seguro de si, você NUNCA deve sanar sua curiosidade.
Na grande maioria das vezes as drogas já te fazem refém numa única e primeira vez! Tudo vai depender do grau de pureza do produto e da propensão ao vício do próprio indivíduo. É notório que quanto mais jovem ele for, maiores são as chances de se tornar dependente.

Mas o X da questão está justamente no público alvo de Fiuk, ou seja, projetos de gente no auge da formação de suas personalidades e desprovidos de qualquer estrutura racional, que tendem tomar como referência o que é dito pelo ídolo. Tipo ele disse que tem que saber como é pra dizer não, então também vou experimentar. Bem inteligente né?

Gente, gente gente….. a única coisa que realmente é preciso saber, é que é preciso ficar longe dessa merda! Só. Simples assim.

E jamais deve-se levar em conta aqueles que bebem socialmente e nunca se tornam alcoólatras ou aqueles que fumam uma maconha só pra relaxar vez ou outra e nem vão além, porque cada organismo reage de forma diferente. Você pode fazer isso e nunca se tornar um viciado, mas por outro lado pode achar que o barato tá pouco e vai a procura de algo mais forte e por aí vai. Roleta russa pura. Não dá pra jogar com a vida assim.

Fonte da nota EGO

Análise feminina sobre crítica masculina ao corpo de Cléo Pires por @silviamarques

11, agosto, 2010 Ester Castro 176 comentários

O texto abaixo é de autoria da tradutora e intérprete Sílvia Marques, que se viu indignada com as críticas masculinas feitas ao corpo de Cléo Pires no ensaio da Playboy.
Pedi autorização à ela para reproduzir seu texto aqui por também partilhar da ideia de que a grande maioria dos homens, principalmente os das novas gerações, tem transportado para a vida real o conceito de beleza apresentado no universo photoshopado, siliconado e pornográfico.
A coisa chega a tal ponto que independente do gosto ou favoritismo a um biótipo feminino específico, a beleza natural parece chocar e a beleza fabricada passa a ser a nova natural. Preocupante.

Acompanhem o texto:

O homem brasileiro anda muito boiola. É isso mesmo. Estava lendo os comentários de uns rapazes sobre a Playboy da Cleo Pires e de repente percebi que o homem brasileiro não gosta mais de mulher! As “críticas” se referiam ao fato dela ter os seios pequenos, mamilos escuros, pelos pubianos e, provavelmente, lábios vaginais escuros. Achei bizarro o espanto ao ver essas características em uma mulher morena.

Sinto informá-los, meninos, mas vocês têm atração sexual por travestis!

Sim, o que vocês consideram “mulher bonita” é, na verdade, um protótipo construído em mesa cirúrgica, resultante de procedimentos desenvolvidos para transformar homens em mulheres. Vejo características que muitos têm buscado e percebo que é um biótipo impossível de ser encontrado na natureza, uma überwoman: Cabelos loiros e lisos, traços finos, boca volumosa, pele bronzeada, seios grandes, cintura fina, bunda grande, pernas esguias, mamilos e lábios vaginais rosados, ausência de pelos.

Pois bem, não existe mulher na face da terra que consiga reunir naturalmente todas essas características, porque “isso” é um híbrido de muitos biótipos diferentes, e quem teve a ideia de pinçar o ponto forte de cada tipo físico para construir a supermulher foram sim os travestis (pois é, riam do Ronaldo agora).

A mulher naturalmente loira poderá ter traços delicados, seios grandes, partes íntimas rosadas e pernas esguias, mas não terá boca volumosa, bunda grande ou pele dourada. Já a morena (que é a brasileira típica, por sinal) terá pele dourada e corpo de violão, mas não terá cabelos loiros e lisos, partes íntimas rosadas, seios grandes, pernas esquias. Conseguem enxergar o paradoxo?

Para atender ao padrão de beleza, tanto a loira quanto morena terão que fazer modificações desnecessárias nos seus corpos. Sem contar a mulher negra e a oriental, que praticamente não têm nenhuma de suas características naturais nesse ideal estético, e a descedente de europeus que possui algumas características da loira, outras da morena, mas também não é 100% “perfeita”.

Ah… Tem também a questão dos pelos pubianos: Depilação total, nenhum pelo permitido. Parem de assistir tanto filme pornô! Essa depilação é útil na indústria pornográfica por uma questão técnica, a ausência de pelos permite a captação de detalhes pela câmera, mas na vida cotidiana… Sinceramente!

Muitos homens pressionam suas mulheres a se modificar, seja com uma tinta de cabelo, uma chapinha, uma cirurgia plástica ou uma depilação exagerada. E o pior, as mulheres aceitam. Digam não ao cabelo amarelo Carla Perez, mulheres! Digam não a chapas de metal fervendo seus miolos diariamente. Digam não a implantes e sucções desnecessários e perigosos. É importante se cuidar sim, mas para valorizar a sua beleza natural, não transformá-la em quem você não é.

E sabem o que vocês conseguem com essas exigências anatômicas, brasileiros? Conseguem fazer com que muitas mulheres, como eu, por exemplo, corram para os braços de homens estrangeiros, que não sofreram a lavagem cerebral dessa cultura demasiadamente sexualizada do Brasil e sabem, portanto, apreciar a beleza natural da mulher. Perguntar o que o homem gostaria de mudar em você e ouvir “nada, eu adoro o seu corpo como ele é” é um afrodisíaco poderoso.

Link para o texto original.