Arquivo

Arquivado em ‘Culinária’

Vídeo bacana mostrando a fabricação de balas artesanais

21, janeiro, 2011 Ester Castro 2 comentários

O vídeo abaixo exibe uma amostra do modo de fabricação dos doces artesanais da Bonbon Macherei, uma charmosa doceria alemã que é famosa por fazer manualmente, balas em diversos formatos e sabores.

Vale conferir apenas por curiosidade e pra passar vontade, claro.  :=)

Via Likecool

Panquecas de “desenho animado”!

13, janeiro, 2011 Ester Castro 4 comentários

Panquecas de "desenho animado"!

Eu testei uma das delícias da seção Ana Maria Brogui. Sabe aquelas torres de panqueca que a gente vê muito nos desenhos animados? Então. Fiz, provei e aprovei!

Ultra rápido de fazer, ficam super macias e mega deliciosas! Só que como eu não tinha morangos pra fazer a calda recomendada na receita, servi com mel (amei!) e calda de chocolate. Mas farei outras vezes e testarei com todas as coberturas possíveis hahahahahahaha

Quer fazer também? Então confira a receita. ;)

Categories: Culinária, Tudo, Vida Pessoal

Não sabe fazer ambrosia? Eu te ensino.

27, dezembro, 2010 Ester Castro 6 comentários

Ambrosia da Ester Castro

Olá queridos!!!!

Passei a ceia de Natal na casa do meu cunhado e fiquei encarregada de levar uma sobremesa. Escolhi fazer ambrosia.

Ambro… o quê?

ambrosia (am-bro-si-a)
s. f.
Substância mágica comida pelos deuses da mitologia grega e romana. Às vezes, era misturada com néctar e bebida. Os deuses mantinham sua imortalidade banhando-se nela ou esfregando-a na pele. Sem ambrosia, eles ficavam fracos. Um ser humano que a bebesse tornava-se forte e imortal. A palavra ambrosíaco significa delicioso, saboroso.

Fig. Coisa que deleita, que causa grande prazer; comida ou bebida deliciosa.

Bras. Doce de leite com ovos. (A pronúncia culta é também ambrósia, salvo o doce brasileiro.)


uma sobremesa americana que também recebe o nome de ambrosia e que nada mais é que uma salada de frutas à base de iogurte, abacaxi, laranja e côco, portanto não tendo nada a ver com a que conhecemos.

A origem é bastante controversa. Para nós, a ambrosia é uma das mais antigas iguarias típicas de Minas Gerais, mas para outros, esta sobremesa é originária da Península Ibérica, cujo mérito é dividido entre Portugal e Espanha. Pode ser mesmo que tenha vindo de lá e se popularizado no interior mineiro.

Mas independente da origem, o troço é bão demais da conta! E a ambrosia que eu faço (modéstia levando um bicuda nesse momento), é a melhor que já comi até hoje!! :=)

Existem várias versões da receita. Eu aprendi fazer com a minha sogra, mas acabei modificando um pouco diminuindo a quantidade de açúcar e incorporando outros itens.

Segue abaixo então a minha receita de ambrosia que fica com uma doçura super suave e sem cheiro de ovos:

– 4 litros de leite;
– 1 caixa (ou lata) de leite condensado;
– 1 xícara de açúcar refinado;
– 1 ou 2 paus de canela (opcional);
– 6 ovos;
– essência de baunilha à gosto.

Modo de preparo:

– Pegue a maior panela que você tiver (acredite, precisa ser das grandes) e coloque o leite, o açúcar e o leite condensado para ferver. Se optar por usar a canela, joga na panela também. Depois que levantar fervura, deixe cozinhando até reduzir no ponto em que o leite ficará mais espesso e mais douradinho.

– Separar as claras e passar as gemas na peneira. Bater as claras em ponto de neve e depois ir adicionando as gemas peneiradas enquanto continua batendo. Ficará uma espuma amarelinha.

– Vá derramando essa espuma batida SEM MEXER, sobre o leite ainda fervendo. Se você não usou uma panela grande, nesse estágio você irá se arrepender de não ter usado. A espuma fará o leite subir e se não houver espaço, irá transbordar. Mas você pode fazer pequenos talhos nas laterais ou no centro para que o ar quente saia, evitando o desastre.

– Deixe cozinhando até perceber que as claras tenham ficado consistentes e cozidas por baixo. Então com uma escumadeira ou colher grande, vá virando grandes porções da espuma para cozinhar do outro lado. Esse processo leva cerca de 20 a 40 minutos, dependendo da chama do fogão. Ficará beeeem cozido.

– Finalizado o cozimento, desligue o fogo, adicione a essência de baunilha, misture levemente para incorporar e tampe a panela.

– Sirva gelado.

DICA:

– Eu gosto da ambrosia com pedaços maiores, mas fica a critério fazer em pedaços menores. Só que só faça isso quando as claras já estiverem cozidas ou quando virar depois que estiverem cozidas por baixo, senão irá desandar o prato.

– A receita rendeu 2 litros. Portanto se quiser maior quantidade, use mais leite e adapte a quantidade do restante dos ingredientes já que o leite PRECISA REDUZIR E ENCORPAR para que a sobremesa fique saborosa.

Ambrosia da Ester Castro

Não é à toa que muitos chamam a ambrosia de “manjar dos deuses”. É de fato uma sobremesa estupidamente deliciosa e de comer rezando…

That’s all folks! Espero que gostem!! :8:

Alho negro. Já ouviu falar?

13, outubro, 2010 Ester Castro 11 comentários

Alho negro
Imagem: Roberto Seba

Hoje, enquanto eu tomava meu café da manhã, vi uma matéria no Mais Você que falava sobre um tal alho negro. Fiquei curiosa e fui pesquisar mais sobre o assunto.

O alho negro nada mais é do que um alho comum condicionado a um processo de fermentação e envelhecimento numa estufa, tornando-se uma iguaria cada vez mais presente nos melhores restaurantes brasileiros.
E o que parece podre aos olhos leigos, é um alho metido à besta todo trabalhado no black tie, que custa em média 100 reais o quilo, quase dez vezes mais que o alho comum. Paradoxos da culinária, não é mesmo?
A diferença, além do aspecto, é que o alho negro não tem gosto e nem cheiro de alho. O sabor, segundo dizem, é considerado umami (cuma?), sendo ímpar com notas doces e frutadas lembrando uma ameixa seca, por exemplo, e que vai bem em pratos doces ou salgados.

Quanto a origem é oriental (só podia ser né?), havendo divergências entre ser japonesa ou coreana, sendo consumida no Oriente há cerca de cinco anos.

Abaixo um vídeo explicativo:

 

Taí. Embora o segredo do processo seja mantido a sete chaves, talvez seja interessante buscar informações sobre a técnica. Para quem já lida com o plantio e afins, seria uma boa alternativa para aumentar a renda.

No Brasil, quem produz é Marisa Tiemi Ono, que segundo conta, começou a produção fazendo experiências até chegar no resultado esperado. Então quem se habilitar a comprar, já sabe onde procurar. ;)

Fonte Globo Rural

Bolos que eu queria muito saber fazer…

28, setembro, 2010 Ester Castro 3 comentários

Se tem uma coisa que curto muito fazer na cozinha é bolo.
Além daqueles tipo lanche do dia a dia como o do arco-íris, me aventuro a fazer uns bolos mais elaborados para os aniversários da minha prole, vide o bolo com os controles do Wii que eu até postei aqui.

Mas aí quando vejo bolos artísticos iguais aos da cake designer (nome chique né?) Michelle Wibowo, que inclusive já tem um de seus trabalhos citados aqui no blog há muito tempo atrás, me sinto uma loser.
Absurdamente incríveis!!!

Pig cake

Coke cake

Games cake

Gollum cake

KitKat cake

Monopoly cake

Vale conferir outros bolos fodáximos da também cake designer Debbie Goard.
Me sentindo mais loser ainda… :=)

Fonte Marketing na CozinhaOddity Central

Categories: Arte, Culinária, Design, Tudo