Arquivo

Arquivado em ‘Comportamento’

Lamentando Mc Melody

21, abril, 2015 Ester Castro 4 comentários

mc melody

mcmelody

Mc Melody
Imagem: reprodução

 

Muitos estão falando sobre Mc Melody.
Os gringos estão começando a falar sobre ela dizendo que seus vídeos são do tipo assustadores.
Aí passei horas percorrendo a web vendo vídeos, lendo matérias e tudo que pudesse me fazer entender o que raios uma criança de 8 anos incompletos está fazendo travestida de gostosa.
O pai, Mc Belinho, está sofrendo ataques pelas redes sociais, sob a alegação de que estaria explorando e expondo a filha.
Mc Belinho por sua vez, se defende dizendo que, apesar de empresário, não explora a filha e que parte do dinheiro levantado é revertido para o futuro e a carreira da menina. Agora ela está podendo estudar em escola particular. Até aí tudo bem. Estamos carecas de acompanhar trajetórias de artistas que começaram ainda crianças, ganharam fama, dinheiro, ajudaram a família e estão muito bem em todos os sentidos.
Maaaaaas, a criança em questão canta e dança funk. Sabemos como são as danças de funk. A criança em questão usa maquiagem e blusinha de bojo pra parecer ter seios…. AOS 8 ANOS!!!!. A criança em questão, põe o dedinho na boca, rebola até o chão e faz quadradinho de quatro, enquanto o pai grita pra platéia “quem gostou da novinha, faz barulho!

Mc Belinho

MC Belinho e seu cordão de ouro cafona
Imagem: reprodução

Nem preciso dizer que esse tipo de comportamento está fomentando não só a revolta e a repulsa das pessoas, como também comentários de um tipo de público capaz de chamar uma criança de “delicinha” ou “monumento de mulher”. Conseguem mensurar onde isso pode acabar?
Mas esse pai acha normal o que a filha faz e também tais reações. Ela estaria encarnando uma personagem e que todas as meninas normalmente fazem isso.
A pequena Mc Melody arrebanha fãs, mas também desaprovação e se defende da rejeição alegando recalque. Chorei de pena. Diante de todos os sentimentos que essa menina suscita, inveja, certamente não é um deles.
Ela, não tendo culpa de viver num meio em que tudo isso lhe parece normal, como de fato não deixa de ser, pois o pai sempre viveu de funk, as comunidades respiram o funk, está crescendo numa realidade distorcida. Se ela canta mal e alguém critica, é recalque. Se faz pose sexy e alguém critica, é recalque. Ela precisa de ajuda.

Não creio que o comportamento e a atitude dessa criança, bem como o feedback negativo, devam ser tratados de maneira anódina. O problema é sério. Tão sério que tem gente batendo de frente e parece que vai rolar processo contra os pais da criança sob alegação de que estariam infringindo o Art. 218 do Código Penal  e Arts. 241-D e 241-E do Estatuto da Criança e do Adolescente, além de uma petição pública pedindo intervenção e investigação de tutela, correndo pela web.

Não importa que o pai diga que em casa a menina leva uma vida normal e que ninguém tem nada a ver com a vida deles. Pode até ser. Ainda assim essa criança linda está abreviando referências de infância em detrimento de uma vaidade, que não sabemos ser dela ou do pai.

Quiçá o que o futuro lhe reserva…

Categories: Comportamento, Opinião

Esclarecendo o caso da bebê Vitória compartilhado no Facebook

9, abril, 2012 Ester Castro 58 comentários

O Facebook é uma maravilha se você souber usá-lo. Infelizmente muitos não sabem. Passam correntes idiotas e compartilham imagens levantando uma bandeira sem conhecimento de causa.

O assunto da vez é a imagem de uma criança de nome Vitória que segundo a descrição seria uma criança “anacéfala” (isso mesmo, ainda escreveram o termo errado) que vivia bem e feliz. Pediam para compartilhar a imagem levantando a bandeira contra a votação do Supremo Tribunal Federal que acontece na próxima quarta-feira dia 11, que decidirá se mulheres grávidas de anencéfalos (termo correto) podem ou não interromper a gestação sem precisar recorrer à justiça.

Só pra refrescar a memória, a anencefalia é caracterizada pela ausência de córtex cerebral, camada externa do cérebro rica em neurônios e responsável pelas funções mais complexas do cérebro. Sem ele não há linguagem, percepção, emoção, cognição, memória. Mais.
Popularmente é denominada ausência total do cérebro e da caixa craniana. Sem cérebro não há vida. Existe no máximo o tronco cerebral que possibilita a respiração e outras funções. Quanto ao coração, um órgão relativamente autônomo, não precisa de estímulo cerebral pra bater por si só, explicando assim os batimentos cardíacos num anencéfalo.
A criança anencéfala normalmente morre durante a gestação, ou horas após o parto ou excepcionalmente alguns dias após.
Há entretanto, um caso de um bebê, uma menina que vivera 20 meses e apesar do diagnóstico inicial ter sido anencefalia, uma ressonância meses depois, constatou algumas porções do cérebro que mantinham suas funções vitais. Segundo especialistas, era um caso de encefalocele associada à microcefalia.

Mas voltando ao ponto, eu tenho a mania de fuçar e vasculhar tudo que vejo na internet antes de me posicionar sobre o assunto.

Encontrei o blog da bebê Vitória. A foto em questão não era montagem. É real. E o pior, foi usada sem autorização pra criar uma corrente tosca. Os pais deixaram a mensagem abaixo para que esta sim fosse compartilhada a fim de coibir o uso indevido da imagem.

Vitória de Cristo
Créditos imagem: Blog Amada Vitória de Cristo

Olá amigos, infelizmente alguém, sem nossa autorização, usou uma foto da Vitória com informações incorretas e promovendo de forma polêmica e sensacionalista o compartilhamento no Facebook. Ainda que esse post tenha intenção de promover a vida, e que a pessoa tenha tido boa intenção, tem também permitido comentários ofensivos e preconceituosos a uma criança (muito) especial. Por favor, não compartilhem essa corrente e peçam que deletem os comentários ofensivos a respeito onde a tenham visto. Se desejam divulgar a história dela, o melhor é compartilhar o blog – onde há inclusive um link para compartilhamento no Facebook – e onde a sua história de vida e sua deficiência são tratadas de forma séria e respeitosa, com moderação dos comentários. Por favor, compartilhem essa mensagem.

Muito obrigado,

Joana, Marcelo e Vitória

A história desse anjo é realmente incrível. Durante a gestação, ela apresentou ausência da calota craniana que resultou na inibição do desenvolvimento cerebral, porém não houve ausência “total” do mesmo como ocorre na anencefalia.
O diagnóstico atual da pequena Vitória é encefalopatia neonatal por malformação cerebral. Vocês poderão conhecer a história dela em seu blog.

Contudo, no meu entendimento, o exemplo da pequena Vitória não deve servir de exceção à regra para  inibir uma votação favorável ao aborto de anencéfalo. Vitória sorri, se movimenta e interage, logo, possui massa cerebral. A mãe decidiu prosseguir a gestação e para sua surpresa e felicidade o diagnóstico não bateu com o prognóstico.

Mas esse é o ponto. O direito da mulher decidir se quer ou não prosseguir com a gestação anencefálica. Se após exames minuciosos e isentos de dúvidas constatarem a anencefalia propriamente dita, a mãe precisa ter o direito de decidir abortar sem precisar recorrer a decisão judicial. Se ela decidir continuar, deve ser por escolha e não porque foi impedida do contrário. Sabemos que existem desfechos realmente tristes e dolorosos de mães que esperaram meses pra conseguir a autorização do aborto de um bebê indubitavelmente condenado. É isso que precisa ser mudado.

Vale lembrar que uma decisão favorável do STF não irá legalizar o aborto em seu sentido amplo, mas irá ampliar o direito ao livre arbítrio de abreviar um sofrimento futuro e inevitável.

Pra encerrar, faço um convite à leitura do texto Chega de torturar mulheres da jornalista Eliane Brum sobre o assunto ao qual concordo plenamente.

Categories: Comportamento, Tudo, Web

Como conquistar uma mulher… errada!

3, fevereiro, 2012 Ester Castro 3 comentários
Como conquistar uma mulher... errada!

Imagem: reprodução

 

Há um tempo atrás alguns blogs postaram o vídeo abaixo que na verdade trata-se de um comercial russo para uma locadora de carros. A chamada do comercial é algo do tipo como conquistar uma mulher com um carro.

No vídeo corre uma historinha ao som delicioso de Soon or Later (Mat Kearney) em que um rapaz subalterno e simples se encanta por uma bela mulher mas esta lhe dá uma boa esnobada. Ele então decide dar um trato na carcaça, alugar um carrão e fazer uma nova tentativa de abordagem. O plano funcionou. A mulher se rendeu aos “encantos” do gajo.

Eis o vídeo:

É tudo muito lindo, muito envolvente, muito glamouroso e muito legal ver o cara se dar bem. Mas vamos jogar um balde de água gelada na situação toda e transportar a ideia para a nossa realidade.

Os homens de fato tem muito disso de conquistar mulheres usando um bom carro e roupas caras. Não os culpo. Para algumas mulheres esse é o preço de um simples olhar, de um sorriso ou de uma boa chave do coxa. Nem preciso dizer que isso envergonha a classe.

A questão é: se um homem precisa usar ou depender destes artifícios para conquistar uma mulher, que tipo de mulher ele estaria atraindo? Seria a mulher ideal?
Indo mais além, suponhamos que este homem se apaixone por esta mulher a ponto de querer se casar. Aí a carruagem vira abóbora e aparecem as primeiras dificuldades. A mulher que este homem conquistou pelas aparências aguentaria o tranco da pindaíba? Of course not!

Por isso eu já digo aos meus filhos o que eu dizia aos meus irmãos: a mulher que olhar para um homem pelo que ele tem e não pelo que ele é, será sempre a mulher errada!  :8:

A mulher que quer ser a mais gorda do mundo!

17, agosto, 2011 Ester Castro 2 comentários
A mulher que quer ser a mais gorda do mundo!

Imagem: reprodução

Susanne Eman, uma Americana de 32 anos do Arizona nos EUA tem uma meta: se tornar a mulher mais gorda do mundo. Para isso, ela que hoje pesa 330 kg quer chegar aos 730 kg comendo mais de 20 mil calorias por dia. As informações são do tabloide Daily Mail. Leia mais…

A mente das pessoas é uma incógnita e acaba produzindo muita maluquice pra pouca cachola. Veja o caso dessa mulher.

Enquanto meio mundo está preocupado com o crescente número de pessoas acima do peso, porque claro isso não é uma questão estética, mas porque implica riscos à saúde, alguém decide encarar uma roleta-russa gastronômica pra bater um recorde e diz querer quebrar o estigma de que ser gordo não é ruim.

Ser gordo de fato não é ruim, mas ser obeso mórbido é fatal! É claro que o corpo não aguenta!! Segundo ela, as taxas ainda não estão na zona de perigo, mas a julgar pela dieta molotov e pelo peso exorbitante, é uma questão de fração de tempo para que suas coronárias entrem em colapso e ela comece a fazer uma hipertensão severa, sem falar em outros inúmeros problemas paralelos que surgem como consequência.

Realmente não dá pra entender…

Isso que é levar ao pé da letra o dito popular “comer pra morrer”!

Fonte: UOL

 

Categories: Comportamento, Notícia, Tudo

Entenda a classificação dos games segundo a ESRB

19, outubro, 2010 Ester Castro 4 comentários

A ESRB é a organização que classifica os games distribuídos na América do Norte, de acordo com o seu conteúdo adequando-o para as respectivas faixas etárias. É a mais conhecida. Os jogos que temos aqui em casa são todos classificados por ela.

Existe também a BBFC do Reino Unido, a CERO do Japão, a PEGI da Europa,  entre várias outras. Aqui no Brasil temos a DJCTQ, que além dos jogos eletrônicos, também classifica filmes e programas de TV.

Veja os exemplos de classificação segundo a ESRB:

Early Childhood (Maiores de 3 anos)

Early Childhood (Maiores de 3 anos) – Contém conteúdo considerado próprio para crianças até 6 anos. Jogos nesta categoria não contêm qualquer material impróprio. Esses jogos são especificamente destinados a crianças e jovens e geralmente de natureza educativa.

Everyone (Maiores de 6 anos ou livre)

Everyone (Maiores de 6 anos ou livre) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 6 anos, antigamente, mas agora a classificação é representada livre para todas as idades. Títulos nesta categoria podem conter violência animada ou fantasiosa leve.

Everyone 10+ (Maiores de 10 anos)

Everyone 10+ (Maiores de 10 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 10 anos. Títulos nesta categoria podem conter violência animada ou fantasiosa moderada, linguagem agressiva leve, sangue animado e/ou mínimos temas sugestivos.

Teen (Maiores de 13 anos)

Teen (Maiores de 13 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 13 anos. Títulos nessa categoria podem conter violência, temas sugestivos, humor cruel, pouco sangue, jogos de azar e/ou uso moderado de linguagem forte.

Mature 17+ (Maiores de 17 anos)

Mature 17+ (Maiores de 17 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 17 anos. Títulos com essa classificação contêm violência mais forte com sangue, consumo de drogas ou álcool referências sexuais e/ou linguagem obscena.

Adults only 18+

Adults only 18+ (Maiores de 18 anos) – Contém conteúdo considerado impróprio para menores de 18 anos. Colocada em jogos adultos que contêm representações de sexo e nudez extrema e/ou violência incluindo sangue.

Existe ainda o selo RP (Raiting Pending) dado aos jogos submetidos a análise e que ainda não foram finalizados para lançamento oficial.

Só que essa classificação nem sempre é unânime. Devido as divergências culturais, um mesmo jogo pode ter classificação diferente de acordo com a região, podendo inclusive ser recusado ou proibido. Cito entre outros, o exemplo do RPG Risen (PC Xbox 360) que tem classificação Mature pela ESRB, mas foi banido no Japão por suposto conteúdo sexual e incentivo ao uso de drogas. Engraçado que esse joguinho aqui póóódchi, porque enfiar o dedo no cu dos outros é cultura, né? :8:

Alguns jogos regulamentados em uma mesma região podem ainda ter a sua classificação revista para menos ou para mais, se a opinião pública levantar a questão, como foi o caso do Oblivion (PC, Xbox 360, PS3) inicialmente classificado como Teen pela ESRB e depois alterado para Mature. Claro que existem vários outros casos como esse.

Não sei lá fora, mas aqui no Brasil, vamos combinar que a classificação de permissão etária só se restringe a mera informação e é totalmente ignorada pela pirataria, afinal nem todo mundo compra games originais, como bem lembrou o colega @finatto ao comentar num post polêmico meu sobre a violência dos games. E adultos com filhos, compram e classificam o jogo a seu bel arbítrio. O que para uns é considerado impróprio, para outros não, ou seja, em casa, os pais é que determinam o que é permitido ou não, sem acatar a orientação do selo. Acontece muito.

Aqui em casa sou bem resolvida quanto a isso e embora eu sempre defenda a ideia de que o problema não é o game que influencia, mas sim o indivíduo que é influenciável, tenho minha própria política doméstica de acesso aos jogos sempre com muito, mas muito diálogo, informação, presença e amor.

Fontes: ESRB e Wikipedia

E por falar nisso…

No que diz respeito aos estabelecimentos públicos como lojas e locadoras, existe um Projeto de Lei tramitando na Câmara dos Deputados, que se for aprovado, irá proibir a venda e a locação de jogos violentos à menores de 18 anos, sob pena de cassação do alvará de funcionamento. A proposta é da deputada Sueli Vidigal (PDT-ES) que certamente entende tudo do assunto. A pirataria agradece…

Passo a vez à vocês para opinar sobre. Concordam com o projeto ou não?