Alho negro. Já ouviu falar?

13.10.10 - 12:43 PM Ester Castro






Alho negro
Imagem: Roberto Seba

Hoje, enquanto eu tomava meu café da manhã, vi uma matéria no Mais Você que falava sobre um tal alho negro. Fiquei curiosa e fui pesquisar mais sobre o assunto.

O alho negro nada mais é do que um alho comum condicionado a um processo de fermentação e envelhecimento numa estufa, tornando-se uma iguaria cada vez mais presente nos melhores restaurantes brasileiros.
E o que parece podre aos olhos leigos, é um alho metido à besta todo trabalhado no black tie, que custa em média 100 reais o quilo, quase dez vezes mais que o alho comum. Paradoxos da culinária, não é mesmo?
A diferença, além do aspecto, é que o alho negro não tem gosto e nem cheiro de alho. O sabor, segundo dizem, é considerado umami (cuma?), sendo ímpar com notas doces e frutadas lembrando uma ameixa seca, por exemplo, e que vai bem em pratos doces ou salgados.

Quanto a origem é oriental (só podia ser né?), havendo divergências entre ser japonesa ou coreana, sendo consumida no Oriente há cerca de cinco anos.

Abaixo um vídeo explicativo:

 

Taí. Embora o segredo do processo seja mantido a sete chaves, talvez seja interessante buscar informações sobre a técnica. Para quem já lida com o plantio e afins, seria uma boa alternativa para aumentar a renda.

No Brasil, quem produz é Marisa Tiemi Ono, que segundo conta, começou a produção fazendo experiências até chegar no resultado esperado. Então quem se habilitar a comprar, já sabe onde procurar. ;)

Fonte Globo Rural









Confira outras postagens no blog!

2leep.com


Os comentários são via Facebook, portanto precisa estar "logado" para comentar. Vale lembrar que o teor dos mesmos são de inteira responsabilidade do comentarista.

Comente!! Assim saberei o que você pensa! ;)




  1. Marcelo Weidner
    27, abril, 2012 em 18:50 | #1

    Faça voce mesmo seu alho negro! Enviamos uma apostila completa e video explicativo de como proceder nas etapas de processamento assim como montar a estufa de envelhecimento.

    Caso não queira produzir seu próprio alho em casa, vendemos ele já pronto a voce!

    Contato. marceloweidner@globo.com ou mwsolucoes@gmail.com

  2. 5, dezembro, 2011 em 23:56 | #2

    fomos ao D.O.M. nesse sábado e comemos esse alho negro que deliciaaaaaaa

  3. marcelo
    23, março, 2011 em 15:34 | #3

    estou trabalhando diretamente com produtor de alho negro na cidade maravilhosa do rio de janeiro,,,,,,,,,,,, marcelo.mastroyane@gmail.com

  4. 26, janeiro, 2011 em 09:55 | #4

    Olá, obrigado pelo seu blog, gosto muito.

    Eu produzo meu próprio alho negro aqui na cidade de joinville, SC.

    Utilizando as receitas do ehow.com é possivel faze-lo em casa. Não precisa comprar , nem pagar esse absurdo que a Sra aquela cobra.

    Parabéns pelo blog.
    http://www.facebook.com/photo.php?fbid=4393919486

  5. 17, novembro, 2010 em 10:10 | #5

    Produzimos e comercializamos Alho Negro e Especiarias para entrega em todo o Brasil:

    http://www.especiariasrossi.com.br
    contato@especiariasrossi.com.br

  6. Marquim
    20, outubro, 2010 em 13:33 | #6

    Como bom simpatizante da culinária, foi dar uma pesquisada em como obter o alho negro sem pagar uma fortunha por isso.

    http://www.ehow.com/how_5902625_make-black-garlic… esse site ensina a fazer, tá em inglês, mas parece ser facinho. vou tentar e depois posto aqui.

    • 21, outubro, 2010 em 06:29 | #7

      Que legal Marquim!!! Caramba, 40 dias com o forno ligado controlando umidade e temperatura…. Não me espanta ele ficar tão mais caro…

      • Marcelo Weidner
        1, maio, 2012 em 07:52 | #8

        Disponibilizamos todas as etapas para produção do alho negro além de videos demonstrativos para construção da estufa ideal para envelehcimento que utiliza energia limpa para auxiliar na produção e reduzir o custo de energia gasto no processo. Voce podera produzir em casa para consumo próprio e presentear os amigos, ou mesmo podera iniciar seu próprio negocio obtendo uma excelente vantagem tecnológica em relação aos concorrentes que não utilizam energia limpa e gratuita no processo de envelhecimento e fermentação do alho.

        • Sonia
          10, junho, 2013 em 19:12 | #9

          Gostaria de saber como posso adquirir o vídeo com o processo de fabricação

  7. Amanda Almeida
    13, outubro, 2010 em 20:10 | #10

    Como acordei 12:00 hj ¬¬' não assisti o Mais Você, mas é muito bom ficar por dentro acompanhando o blog, que pode ser acompanhado em qualquer horario, confesso que o único alho negro que tinha visto era o meu quando eu queimo (acredite, sempre queimo!)

    Ótimo post!!!

  8. 13, outubro, 2010 em 11:40 | #11

    Eu também assisti ao Mais Você nesta manhã e acompanhei a matéria.

    Achei bastante interessante e por ser, de fato, diferentemente no sabor que o alha comum.

    Gostei mais ainda de me aprofundar sobre, aqui.

    Muito legal! =)

Fechado para comentários.